O que é esperado, tende a ser realizado.

Você já ouviu falar no efeito placebo⁉️

Quando um paciente acredita estar tomando um medicamento real, mesmo sendo uma pílula sem propriedade nenhuma, se sua mente projetou que aquele produto traria uma melhora, a pessoa sente o resultado‼️
Nossa mente funciona assim em diferentes áreas também!🧠 .

Se você começa a colocar na sua mente aonde quer chegar, seu subconsciente passa a prestar atenção e buscar formas de chegar lá. ➡️
Isso também ajuda a explicar o que muitos chamam de intuição, quando a mente consciente percebe um impulso da mente subconsciente.😉 .

Então, se você tiver um sonho que quer realizar ou um objetivo que quer alcançar, foque neles e acredite que você vai conseguir, e muito provavelmente, você alcançará esse sonho. 🙌 .

Hipnose – Um pouco da sua história

Sociedade Egípcia

(Milhares de anos antes de Cristo)

Sabe-se pelos registros de época, que os egípcios tratavam enfermidades em locais chamados de “Tempos do Sono”, onde os pacientes eram submetidos ao transe hipnótico.

Um destes lugares era o Templo de Imhotep na cidade de Saqqara (Sakkara).

Demonstrando a primeira aplicação dada ao transe hipnótico, o tratamento da cura e da anestesia. Demonstrando também, talvez, a primeira forma (e até hoje utilizada em algumas culturas) de indução ao transe hipnótico que se tem conhecimento, os rituais.

 

Sociedade Grega

 

Na antiga Grécia, os enfermos eram postos a dormir em templos e despertavam curados. Dois templos famosos da época eram o de Aesculapius (Esculápio – Deus da Medicina) o de Sofrosine (Sos [tranquilo], phren [mente] e logia [ciência]), ciência da mente tranquila.

 

Índia, Caldéia, China, Roma, Pérsia

 

A hipnose era utilizada para conseguir fenômenos psíquicos (provavelmente hipermnésia e anestesia) que na época eram considerados místicos, esotéricos, paranormais ou sobrenaturais. Muitos documentos da antiguidade provam o uso da técnica por sacerdotes, médicos, xamãs entre outras pessoas importantes dentro de tais sociedades.

 

Idade Média

 

Pessoas foram condenadas (e mesmo mortas) por fazerem uso da hipnose. Restritiva, a Santa Inquisição identificava os dominadores da técnica como bruxos ou satanistas, e como tais eram perseguidos.

 

Hipnose moderna

 

Franz Anton Mesmer

Alemanha (1734 -1815)

Considerado Pai da Hipnose Moderna. O primeiro hipnotista.

Médico, linguista, advogado, músico e fundador da teoria do magnetismo animal chamada Mesmerismo.

Foi aluno de Padre Maximiliano Hell (Hungria 1720 a 1792), jesuíta e astrônomo que fazia experimentos usando imãs para curar.

Dava sugestões enquanto as pessoas tomavam banhos magnéticos.

Teve como aluno o francês Allan Kardec (1804 – 1869).

 

James Braid

Escócia (1775 -1860)

Médico-cirurgião escocês. Foi um dos pioneiros cientistas modernos a trabalhar clínica e investigativamente com o estado hipnótico e com a sua indução. De fato, é considerado o iniciador da hipnose científica. tornou-se figura de destaque na Hipnose nos países de língua inglesa.

Praticante de técnicas de indução por fixação do olhar.

Em 1843, em seu livro “NEURYPNOLOGY; OR THE RATIONALE OF NERVOUS SLEEP, CONSIDERED IN RELATION WITH ANIMAL MAGNETISM”, ele usa os termos “Hypnotism” (Hipnotismo) , “Hypnotist” (Hipnotista) e “hypnotizing” (hipnotizando) do Cuvillers” (ao todo centenas de vezes) pela primeira vez na língua Inglesa.

Tentou mudar o nome para monodeismo mas não conseguiu.

 

James Esdaile

Escócia (1808 -1859)

Na década de 1840, o médico escocês a serviço do exercito britânico realizou mais de 300 cirurgias na Índia usando o “sono mesmérico” ou “anestesia hipnótica” como única anestesia (que levava 3 dias para ser aplicada). Era especialista em amputações.

Dois anos depois de James Esdaile ser proibido de aplicar suas técnicas, o clorofórmio foi inventado. Cerca de 50% das cirurgias ocorriam em óbito por decorrência da anestesia química.

O problema do estado Esdaile é que as pessoas não querem emergir por ser um estado de tranquilidade. Mas Clarice Elman descobriu uma maneira muito eficaz de fazer os sujeitos emergirem.

 

Auguste Ambroise Liébeault

França (1823 -1904)

Fundador da Escola de Nancy – Escola da Sugestão.

Estudou sobre o efeito da Sugestão no individuo.

 

Hippolyte Bernheim

França (1840 -1919)

Descreveu o fracionamento. Dizendo ser necessário 5 sessões para se atingir o ponto ideal para tratamento.

Médico, descobriu que se desse uma sugestão sob hipnose para voltar às 10 horas em 13 dias, o paciente iria aparecer no momento exato sem mostrar lembranças de receber esta sugestão.

Estudou e escreveu muito sobre sugestões hipnóticas.

 

Jean Martin Charcot

França (1825 -1893)

Médico e cientista, foi professor de Freud e fundador da moderna Neurologia.

Durante as suas investigações, Charcot concluiu que a hipnose era um método que permitia tratar diversas perturbações psíquicas, em especial a histeria.

Utilizava estímulos fortes e súbitos para induzir ao transe. Toque de Charcot

Descreveu os estágios do Hipnotismo:

Letargia – sono leve

Catalepsia – paralisia dos músculos

Sonambulismo

 

Sigmund Freud (Sigismund Schlomo Freud)

Austríaco (1856 -1939)

Médico neurologista criador da psicanálise

Embora Freud tivesse usado a hipnose desde que abriu seu consultório em 1887, ele inicialmente usara a técnica simplesmente para remover sintomas por intermédio da sugestão. Quando encontrou resultados desapontadores, ele mudou para o método catártico (A catarse representa a cura de um paciente, que é alcançada através da expressão verbal de experiências traumáticas recalcadas.).

Não era bom em Hipnose.

Retardou os processos de estudo e desenvolvimento da Hipnose.

No final da vida chegou a escrever. “Neurose é a base de todos os problemas e a razão para estes problemas está profundamente escondida no subconsciente. E com técnicas ainda a serem desenvolvidas chegaremos a estas causas.”

 

Dave Elman (Dave Kopelman)

EUA (1900 -1967)

(Não era médico) Referência na Hipnose Clássica. O pai da hipnoterapia.

Conhecido hoje como um autor de um livro sobre hipnose, Hypnotherapy (1970) e a indução hipnótica que leva o seu nome.
Ganhando a fama do hipnotista mais novo e mais rápido do mundo.

Era radialista (HobbyLobby) e compositor de canções populares. Com 8 anos perdeu o pai que era hipnotista amador e lhe deixou uma pequena biblioteca. Criou sua indução com 12 anos de idade.

 

Milton Erickson

EUA (1901 -1980)

Psiquiatra especialista em terapia familiar sistêmica e uma das autoridades mundiais nas técnicas de hipnose aplicadas à psicoterapia

Nos anos 1960, a técnica ganharia fama e reconhecimento pelas mãos do psicólogo americano Milton Erickson. Marcado pela poliomielite, ele deu mais liberdade aos pacientes e criou a hipnose moderna (Hipnose Ericksoniana).

Fundador da American Society of Clinical Hypnosis.

 

Gerald Kein

EUA  (1939 – 2017)

Era vizinho de Dave Elman e começou a aprender com ele desde seus 13 anos de idade.

Fundou a OMNI Hypnosis Training Center em 1979, a maior referência mundial em Hipnoterapia, impedindo que a indução de Dave Elman caísse no esquecimento.

Se aposentou em 2012 dando lugar à Hansruedi.

Auto-Hipnose – Faça você mesmo

Pela auto-hipnose a pessoa é capaz de aplicar técnicas valiosas para melhorar sua condição geral física e mental

Técnica reconhecida

Como técnica de livre exercício e reconhecida no Brasil pelos conselhos federais de Medicina, Odontologia e Fisioterapia por seus resultados comprovados, a hipnose é praticada desde a antiguidade. Mais respeitada e estudada nas últimas décadas, a prática é  cada vez mais usada para tratar desde depressão, ansiedade, fobias, vícios e diversos males da era moderna. A possibilidade de trazer resultados é um fato tão incontestável que o OMNI Hypnosis Training Center, entidade com sede na Suíça, possui um protocolo certificado pela ISO 9001, garantindo a eficácia do tratamento de hipnose em qualquer pessoa.

Como usar

Como um estado natural da mente, a hipnose também é passível de ser auto aplicada.  Para que isso aconteça é necessário que a pessoa se concentre na camada subconsciente da mente.  “É diferente da concentração tradicional, que temos quando estamos em nosso estado consciente. A capacidade de desviar nossa atenção para a camada subconsciente nos leva a um estado de transe e nos faz abrir a mente para formar mais facilmente novas sinapses ou reprogramar sinapses existentes”, explica o Hipnoterapeuta Thiago Porto.

Ao chegar nesta atenção focada no subconsciente, o indivíduo consegue reprogramar, com mais facilidade, suas ações mentais e, por consequência, torna-se mais capaz de controlar suas emoções, pensamentos, hábitos, comportamentos e até reações fisiológicas como a dor.

A  raiva, tristeza e chateações do dia a dia deixam de ser fatores prejudiciais, escolhendo focar naqueles estados que condicionam o seu comportamento positivamente. Assumir o controle emocional é considerado na atualidade um fator de sucesso e de qualidade de vida. “Imagine ser capaz assumir o controle da própria vida e desenvolver hábitos saudáveis sem sofrimento e com prazer. É isso que a hipnose faz”, reflete Porto.

 

Grande Abraço
Thiago Porto

O que é hipnoterapia?

A hipnoterapia (ou hipnose clínica) consiste na aplicação de técnicas hipnóticas como ferramenta terapêutica. A terapia é utilizada como auxílio para o tratamento de transtornos emocionais, físicos, psicológicos, hábitos e sentimentos indesejáveis.

Muitos problemas vivenciados são causados por eventos do passado dos quais muitas vezes nem lembramos. O papel do hipnoterapeuta é identificar esses eventos causadores e ajudar o cliente a confrontá-los, para que o transtorno possa ser tratado com eficácia e o indivíduo possa ter sua qualidade de vida de volta.

Normalmente, os resultados alcançados com a hipnoterapia são mais efetivos e rápidos que com outros métodos convencionais. Isso ocorre porque a hipnose clínica alcança a mente subconsciente do indivíduo e trata o transtorno direto em sua origem.